"...no desalinho triste das minhas emoções confusas..."






24/11/2013

Simples

Na lira dos descaminhos
Posso, em mim,
Tudo.

Contorço a própria projeção
Em busca de a agonia serenar.
Mas oh,
Como me doem as leis da gravidade.

Num estrelado que não caibo
Me delicio e não me satisfaço;
Vago nula de concretudes,
Me encanto o próprio mistério.

(e)
Não me compreendo,
Outrora não me esforce,
Pois não há nada mais podre
Que tentar compreender-se.

2 comentários:

  1. Muito belo, astronauta pensador, que como eu não perde seu tempo compreendendo - se, mas sim escrevendo, palavras que atravessam o nosso universo pensador. ;)
    Parabéns :)

    caminhadoemmarte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, obrigada! Estou sempre a olhar seu blog :)

      Excluir